dezembro 3, 2016
Flash Cart para Neo Geo AES

Esse é o flash cart que eu mais aguardava, confira os detalhes no DGDC NEWS!

» Leia mais
Far Cry Primal
Agradeço a Ubisoft e ao pessoal da Rosa Rais que gentilmente cederam uma cópia do jogo para esse review.

Far Cry Primal

Será que churrasco de mamute é bom?
Magnificamente escrito por ED! em 19-04-2016! Uuhuuu!
apertadores

Galera, sejam bem-vindos ao primeiro post de 2016! Dito isso, aos trabalhos! As franquias AAA que saem ano sim ano não (ou ainda ano sim ano sim) não costumam chamar minha atenção. Mas Far Cry Primal é um caso diferente. Primeiro porque foge da ultra saturada temática militar que por si só já é um ponto positivo. E segundo porque tem mamutes! Mas deixando paquidermes peludos de lado, Far Cry Primal é um jogo muito interessante.

Dieta Paleolítica?

Quando o jogo começa seu grupo está cercando um manada de mamutes, e a estratégia é separar o menorzinho do grupo e esse vai ser o almoço. O jogo te faz matar um filhote de mamute logo nos primeiros minutos, e confesso que me senti meio desconfortável espetando o mamutinho com uma lança até ele parar de se mover. Mas na natureza é assim, quer comer tem que caçar. O que me faz lembrar de meus amigos vegetarianos que não comem carne argumentando sobre a crueldade com os animais. Mas um animal com fome não tem esse tipo de preocupação com você e Far Cry Primal deixa isso bem claro. Não teve um menino que quis brincar de provocar um tigre em um zoológico em Cascavel e bastou chegar perto da jaula para ficar sem um braço? Então. Aqui antes filetar o mamutinho, um tigre dente de sabre gigante aparece, mata todo mundo do seu grupo e te coloca para correr.

Será que tigre dente de sabre também usa caixinha de areia e Curte whiskas?

Fosse para definir Far Cry Primal em uma palavra só, seria sobrevivência. Em pleno 2016 vivemos em uma sociedade que está acostumada a conseguir tudo de bandeja. Tá com fome? Vai até o mercado e compra o que precisa. Mas nem sempre foi assim, e no passado para comer tinha que caçar, não tinha fósforo para fazer fogo e nem casa com monitoramento de alarme. Far Cry Primal conseguiu reconstruir um mundo primitivo que merece ser explorado.

Jogo sério colorido pode?

Pode. O visual do jogo é muito bonito. É realista, com isso quero dizer que as pessoas parecem pessoas, animais parecem animais. Não tem caricaturas. Mas é colorido, é sanguinário, é cheio de detalhes. O ambiente é caprichado demais com florestas enormes, cavernas e rios, mas o destaque vai para as variadas espécies de animais pré-históricos espalhadas por todos os cantos do jogo. Lobos, cabras, tigres, mamutes. Merecia ter um Far Cry Primal Monster Hunter (Ubi?!). Não sei como está o visual nos consoles, mas estou jogando em um PC, 1080p com detalhes no máximo e quem curte e dá valor a gráficos, tem tudo para gostar bastante.

No momento desse review eu tenho algumas horas de jogo apenas então não tenho como me aprofundar muito no quesito evolução. A história é algo que ainda não me cativou profundamente. Acho que parte disso aconteceu por conta da forma com que as coisas são apresentadas. Far Cry Primal leva a imersão no jogo a sério e tem até um idioma próprio. Até aí beleza, mas a questão é que esse idioma não casou com o clima do jogo aos meus ouvidos. Por exemplo, quando ouço o idioma Dothraki mesmo sem entender nada, parece que estou entendendo. A sonoridade do idioma meio que passa a informação. Já em Far Cry Primal o idioma soa como algo místico, como se um Elfo do senhor dos anéis estivesse falando sobre a magia do infinito, mas lendo as legendas (pelo menos até o momento) é um diálogo bem primitivo até, então aos meus ouvidos parece que a sonoridade do idioma está desconectada do conteúdo.

O Calcanhar de Aquiles

Aliás o que está acontecendo no jogo? Sinceramente não sei ao certo. O seu personagem se chama Takkar, da tribo Wenja. E existe um lugar chamado Oros, uma espécie de paraíso que está sendo disputado por outras tribos locais, que tem de canibais a piromaníacos e todo tipo de gente boa. Tenho a impressão de que a história vai ficar mais ou menos nisso, guerra de tribos por Oros.

Far Cry Primal rola em primeira pessoa. Não é um jogo de ação alucinante, tem um ritmo mais cadenciado. Você caça, luta, explora o terreno e coleta materiais diferentes para fazer diversas coisas como armas, objetos, fogo, remédios e afins. Também tem um sistema de “visão de caça” similar ao do Tomb Raider que é uma mão na roda na hora de procurar materiais ou rastros de animais.

Estou me divertindo. E se você procura por um jogo com um estilo diferente e que foge da super batida temática militar, Far Cry Primal pode ser divertido para você também.

Você chegou até aqui, e agora?

Apertador de verdade não lê uma materiazinha e vaza! Tem muito mais coisa para fazer. Você pode:

Seguir o Aperte nas redes socias ajuda muito! Grato!

Sugerir o tema da próxima matéria

E se eu usar sua sugestão você vai ser recompensado. Você pode enviar sua sugestão aqui.

Participar da Promoção que o aperte fez com a warpzone

A warpzone é a maior publicação retrogamer do Brasil! Que tal ganhar R$100 + frete grátis para gastar na Loja Warpzone? Promoção por tempo limitado! Participe, é moleza! Saiba como aqui.

E ainda ler um monte de outras matérias:

  • Jorge Miashike

    Belo review, apertei o like e compartilhando em todas as redes.

    • ED!

      amiegan, assim esse velho coração hipertrofiado fica repleto de alegria kkk

© 2014-2016 Aperte-Start.Net • SITE DESIGN: EDPEIXOTO.COM
FECHAR