dezembro 3, 2016
Flash Cart para Neo Geo AES

Esse é o flash cart que eu mais aguardava, confira os detalhes no DGDC NEWS!

» Leia mais
QPA com a Taito
A Taito foi uma gigante dos videogames e hoje é raro alguém lembrar dela. Por que a criadora do clássico Space Invaders desapareceu?

QPA com a Taito

O que aconteceu com ela?
Induzido por ED! em 27-01-2017! Uuhuuu!
apertadores

Amigutchos Apertadores. Eu sei, estou atrasado um dia com a matéria de quarta-feira. Por isso peço desculpas sinceras. Dito isso, bora para a matéria.

Tenho uma confissão a fazer. Adoro histórias de ascensão e queda. Por exemplo como uma empresa chega ao pico da sua relevância somente para iniciar uma jornada rumo ao esquecimento. Pensando nisso, a matéria de hoje é a estréia de uma série que eu carinhosamente chamo de QPA (Que PORRA Aconteceu), e o assunto da semana é a Taito.

Tenho quase certeza que você já viu esse símbolo pelo menos uma vez na vida.

Mas talvez você não saiba de de onde ele veio. E de um jogo chamado Space Invaders você já ouviu falar? Provavelmente sim. Space Invaders foi criado por Tomohiro Nishikato e produzido e distribuido por uma empresa japonesa chamada Kabushikigaisha Taitō ou simplesmente Taito, como ficou conhecida. Space Invaders foi um dos primeiros jogos “modernos” (estamos falando de 1978) e mais importante, colocou a Taito no mapa como uma das empresas de jogos mais famosas e icônicas da era de ouro dos video games. Mas nos dias de hoje raramente ouvimos falar dela, e aí eu pergunto: QPA com a Taito?

Origens etílicas

Foi em 1953 no município de Minatoku em Tóquio (no Japão) que a Taito deu seus primeiros sinais de vida. Ela vendia produtos importados desidratados e também foi a primeira empresa no Japão a destilar e comercializar Vodka! Puderas, a Taito foi fundada por um russo com nome de americano chamado Michael Kogan, #WTF. Da Vódega passou para Jukebox e Vending Machines, daquelas que você colocava moedas e caia um salgadinho manja? Durante muitos anos ela alugava, importava, fabricava e distribuía essas máquinas dentro e fora do Japão, e assim foi crescendo até que em 1972 passou e se chamar Taito Corporation e começou a marcar presença no mercado de arcades.

Em 1973 ela finalizou a construção de sua nova sede no município de Chiyoda (ainda em Tóquio) e também fundou a Taito America. Seu primeiro jogo foi um clone de PONG. Mas quem diria que em 1978 ela lançaria um dos jogos mais populares da história, o Space Invaders.

Invasores do Espaço

Como falar da Taito sem contar pelo menos um pouco sobre Space Invaders? Em 1978 não havia nada sequer parecido com ele. Nishikato buscou inspiração no Breakout (o avô do Arkanoid que também foi produzido pela Taito) da Atari, e na Guerra dos Mundos de H. G. Wells.
Você controla uma navezinha que fica na parte de baixo da tela e só se move para os lados. Sua missão é destruir as ondas de invasores do espaço enfileirados antes que cheguem até você, e conquistem a Terra. Se forçar um pouco a amizade até dá para chamar Space Invaders de shmup, aquele jogo de navinha sabe? Mas tecnicamente ele é um jogo de tiro bidimensional. Jogo de navinha é bem melhor #EuAcho.

Space Invaders fez um sucesso monstruoso. Você não está me entendendo. Foi um sucesso monumental. Explico. Space Invaders foi um jogo estupendamente popular. Em apenas alguns meses vendeu 100.000 máquinas de arcade e faturou mais de $600 milhões de dólares somente no Japão. Em 1980 a Taito já tinha vendido mais de 300.000 máquinas no mercado japonês e mais 60.000 nos Estados Unidos, e cada máquina custava entre $2000 e $3000 doletas.
Quando chegamos em 1982, a Taito já havia faturado mais de dois bilhões de dólares! Trazendo esses valores para 2017, nada menos do que aproximadamente 7.5 bilhões com um lucro puro e imaculado de 1.6 bilhões.
O que Space Invaders faturou equivalia ao faturamento de filmes como Star Wars. Doidera. A Taito estava nadando na grana, arrisco dizer que dentro da sede tinha uma piscina cheia de moedas de ouro como a caixa forte do Tio Patinhas. Space Invaders foi disparado o jogo campeão de vendas da sua era. E não parou por aí.

2600 motivos para comemorar

Quem gosta de jogar Atari levanta a mão #eu! Em 1980 os invasores do espaço chegaram ao Atari 2600. Foi a primeira versão do jogo licenciada oficialmente que chegou ao console. E chegou detonando, simplesmente quadriplicou as vendas do console até o momento. Vamos falar assim, para o Atari 2600 Space Invaders foi um jogo AAA. Vendeu mais de dois milhões de unidades só no primeiro ano e foi o primeiro cartucho a quebrar a barreira de 1 milhão de cópias.
Foram feitos inúmeros portes para todo tipo de computadores e consoles. Prequels, sequências, remakes, tem de tudo. Space Invaders foi o jogo que inspirou Hideo Kojima à querer fazer jogos. Quer mais? O lendário Shigeru Miamoto considerava Space Invaders como revolucionário. Virou um fenômeno da cultura pop mundial, além de inspirar um sem número de outros jogos. Resumindo, nós que somos amantes de videogames devemos muito à Taito e ao Space Invaders.

Jogos, jogos e mais jogos

A lista de jogos produzidos ou publicados pela Taito é gigantesca. Veja se você reconhece, se lembra ou já jogou alguns dessa lista (Space Invaders não vale!): Asteroids, Phoenix, Lock ‘n’ Chase, Qix, Jungle Hunt, Elevator Action, Exerion, Gyrodine, The Legend of Kage, Ninja-Kid, Arkanoid, Bubble Bobble, Darius, Gladiator, KiKi KaiKai, Renegade, Slap Fight (meu eterno amor), Scramble Formation, Continental Circus.
Como esquecer que a Taito conseguiu as licenças da Hanna-Barbera e fez uma porrada de jogos baseados nos cartoons dela? Vou parar por aqui por que a lista é imensa eu não mencionei sequer uma pequena fração dela.

WOWOW

Por volta de 1992 a Taito quase entrou no mercado de consoles. Se a SNK tinha o NEOGEO, a Taito tinha o WOWOW. O WOWOW era para ser o NEOGEO da Taito no sentido de ter jogos de arcade perfeitos. A ideia desse console nasceu de um bem bolado entre a JSB, a ASCII e a Taito.
Mas tinha um detalhe, apesar de ter um leitor CD-ROM, a ideia principal era que o console seria um receptor de TV via satélite e carregaria os jogos por download, também via satélite. #WTF.
Durante a feira Tokio Toys Show de 1992 até alguns jogos foram anunciados, entre eles Darius, Bubble Booble e Parasol Stars.

Segundo consta, o hardware do WOWOW seria uma versão modificada de alguma placa de arcade da Taito #maisvagoimpossível. Funcionaria assim: os dados de upload e download seriam transmitidos para o satélite através de um conector RJ45 e armazenados na memória do WOWOW, a intenção era vender o serviço de assinatura e o assinante poderia rodar o jogo dessa forma.
Em 1992 a transmissão de dados via satélite não era lá aquelas coisas #lixão, e a ideia era ter somente jogos pequenos rodando dessa forma, e nada melhor que jogos arcade da década de 90. Chegaram até a otimizar uma versão de Darius para o console.

O projeto do WOWOW não foi para frente por dois motivos. Ocorre que nessa época memória era algo caro e a transmissão de dados extremamente lenta, isso tornava o WOWOW um projeto duvidoso. Tão duvidoso que ficou esperando por 5 anos na prancheta até que a Nintendo lançou o Satellaview para o Super Nintendo. Como o Satellaview não fez muito sucesso, a Taito abandonou o projeto de vez e infelizmente o WOWOW nunca viu a luz do dia #FIM.

O gigante que virou formiga

Lembra ou pelo menos já ouviu falar do jogo Shadow of the Colossus? Até 1986 pense na Taito como um colossus. Um gigante lendário da indústria dos videogames. Imponente e aparentemente indestrutível. Não aconteceu da noite para o dia, mas lentamente a Taito foi diminuindo de tamanho e perdendo relevância. Poxa logo a Taito, soberana dos arcades por quase duas décadas.

Parte da resposta está justamente aí #soberanadosarcades. O negócio da Taito sempre foi focado nos arcades. Consoles recebiam jogos dela, mas eram poucos se comparados à enormidade do catálogo. Por exemplo, em 1988 a demanda de jogos de Nintendinho era super alta, e a Taito lançou apenas 2 jogos nesse ano: Bubble Booble e o Renegade da Technos. Muito pouco para uma gigante dos games não?

Considere que nessa época devido à alta demanda, a Nintendo limitava cada publicadora à 5 jogos por ano, e a Taito com um catálogo gigante lançou só 2? Difícil de entender. Eu creio que é porque o mercado de consoles era visto com certo desdém dentro da empresa, meio que deixado em segundo plano.

E cá entre nós, os jogos da Taito nos consoles não são um primor de qualidade, tem alguns jogos bons (Little Samson, algumas versões de Darius, Ray Storm), mas nada (que eu pelo menos considere) excepcional, muitos jogos são apenas medianos (legend of kage de famicom, o que é aquela música! #argh).

Durante muito tempo jogos de arcades eram vistos como coisas do outro mundo, tamanha a superioridade de hardware frente aos consoles caseiros. Mas na década de 90 houve uma mudança de paradigma e aconteceu o impossível, os consoles domésticos passaram a rivalizar com os arcades, ou até mesmo superar em certos casos: N64, Playstation, Saturn e NeoGeo (literalmente o arcade em casa).

Aquela experiência única que o arcade proporcionava já não era mais única, e pior, estava chegando dentro das casas das pessoas. Aquelas mesmas que passavam a tarde toda colocando moedas (ou fichas para nós aqui no Brasil #fliperama) nas máquinas, aos poucos foram deixando de frequentar os arcades.

E com menos pessoas vem menos dinheiro, e com menos dinheiro arcades que antes eram abarrotados de gente, vazios não conseguiam mais manter suas portas abertas. No começo da década de noventa os arcades chegavam movimentar cerca 7 bilhões de dólares anuais. Mas em 2004 esse número caiu para $866 milhões anuais, mais ou menos uma diferença de uns 98700978% #matemática #ouch.

A Taito soberana dos arcades havia levado um direto no queixo do Mike Tyson e uma mordida na orelha ao mesmo tempo #knockout.

A Taito que não é mais Taito

Até 1986 a Taito era dona de si própria, a partir daí começou uma certa dança das cadeiras e ela passou a fazer parte do Kyocera Group, um grupo japonês multinacional que trabalhava com produtos variados, desde eletrônicos e produtos de cerâmica até sistemas de energia solar. Em 1993 ela colocou suas ações na bolsa de valores japonesa, até que em Setembro de 2005 a Square Enix arrematou 93.7% das ações da Taito, e passou a ser literalmente a sua dona #ouch.

A intenção da Square Enix aparentemente era entrar no ramo decadente de arcades #WTF. Claro que não deu certo, e aos poucos a Square Enix foi liquidando e dissolvendo tudo relacionado à Taito, até que em Março de 2010 o último vestígio do que um dia foi uma empresa gigante, era completamente absorvido pela Square Enix, matando e enterrando de vez a lendária gigante da indústria dos videogames.

Hoje todas as franquias da Taito pertencem a Square Enix, que apesar de tudo ainda preserva o logo dela nesses jogos #honra. Que saga. Não digo trágica, mas triste sem dúvida. Uma empresa gigante (e adorada) que não soube se adaptar a mudança do mercado e foi definhando até desaparecer completamente. E agora amigo(a) apertador(a) que você já sabe o que aconteceu com a Taito, me conte qual seu jogo favorito dela e qual jogo você odeia.

E não esqueça, toda quarta-feira é dia de matéria nova, e no sábado tem o catadão do Aperte com uma seleção de notícias comentadas da semana. E se estiver de bobeira, não deixe de participar da promoção do Aperte com a Warpzone, a maior publicação retrogamer do Brasil. É por tempo limitado!

Inté!

Você chegou até aqui, e agora?

Apertador de verdade não lê uma materiazinha e vaza! Tem muito mais coisa para fazer. Você pode:

Seguir o Aperte nas redes socias ajuda muito! Grato!

Sugerir o tema da próxima matéria

E se eu usar sua sugestão você vai ser recompensado. Você pode enviar sua sugestão aqui.

Participar da Promoção que o aperte fez com a warpzone

A warpzone é a maior publicação retrogamer do Brasil! Que tal ganhar R$100 + frete grátis para gastar na Loja Warpzone? Promoção por tempo limitado! Participe, é moleza! Saiba como aqui.

E ainda ler um monte de outras matérias:

© 2014-2016 Aperte-Start.Net • SITE DESIGN: EDPEIXOTO.COM
FECHAR