dezembro 3, 2016
Flash Cart para Neo Geo AES

Esse é o flash cart que eu mais aguardava, confira os detalhes no DGDC NEWS!

» Leia mais
Papo Sincero sobre o Nintendo Switch
O Nintendo Switch mal chegou e já está dividindo opiniões e causando uma impressão negativa. Esse é mais um papo sincero, dessa vez sobre o novo console da Nintendo.

Papo Sincero sobre o Nintendo Switch

Sucesso ou Fracasso?
Induzido por ED! em 18-01-2017! Uuhuuu!

Abiegans apertadores, chegou a hora de mais um papo sincero, dessa vez sobre o Nintendo Switch. Será um sucesso? Será um fracasso? E antes que me chamem de hater novamente, já vou avisando que não sou hater e também não sou Nintendista. São opiniões sinceras, nada mais nada menos. Dito isso, vamos começar o massacre. Desculpe, eu disse massacre? Falha minha, na verdade eu quis dizer massacre. Mentira, vou revezar pontos negativos e negativos na medida do possível. Desculpe novamente, quis dizer positivos e negativos. Agora sim. Dedico esta matéria ao Luis do Revs Tv e a todos os amantes da Big N.

O Evento

Eu fui um dos infelizes que assistiu o evento ao vivo as duas da matina e sexta feira, 13 de janeiro de 2017. Raramente tenho chance de acompanhar um evento ao vivo nesse horário e não queria perder a chance. Valeu a pena? De certa forma sim, mas não recomendo, dá próxima vez vou assistir no dia seguinte como todo mundo. Foi o melhor evento da Nintendo nos últimos anos. Não foi uma sequência alucinante de jogos como estamos acostumados nos eventos da Sony e Microsoft, mas pelo menos foi ao vivo ao invés de um vídeo pré-gravado, e foi relativamente informativo.

Mostraram bastante o console, acabou aquela nuvem de mistério. Finalmente removeram a trava de região!!! O novo Zelda finalmente tem data para sair, dia 3/3/2017 (no mesmo dia do lançamento do Switch), e também vai sair no WiiU conforme o combinado, parabéns a Nintendo que não deixou os usuários do WiiU órfãos do novo Zelda. Por essas e por outras vou considerar o evento em geral como positivo. Mas nem tudo são flores, já que deste mesmo evento tivemos informações (ou falta de) decepcionantes.

Como sempre não houve conversa sobre os specs que todo mundo quer saber e podemos argumentar que a Nintendo nunca fala disso. Verdade. Mas isso não é algo positivo. Quando o consumidor compra um carro tem o direito de saber a potência do mesmo em detalhes e com consoles não é diferente.

Fica implícito de que a omissão de detalhes é porque o console é menos potente que a concorrência. Ainda que fosse esse o caso, melhor jogar aberto. Acho que omitir essas informações ajuda a aumentar a desconfiança do consumidor.

Preços fora da casinha

No lançamento o Nintendo Switch vai custar USD299 sem nenhum jogo incluído. Eu achei muito caro. No melhor cenário possível eu imaginei USD199. Em um cenário realista USD249. Mas se o preço do console é caro, o preço dos acessórios é abusivo. Vamos desmembrar o que vem no console? Visitando o site oficial da Nintendo sabemos que o pacote do console inclui: Nintendo Switch, Nintendo Switch Dock, Joy-Con (L) e Joy-Con (R), dois Wrist Straps, Joy-Con Grip, 1 cabo HDMI (#chupaGodoy) e uma fonte.

Também sabemos que um Nintendo Switch Pro Controller custa USD69.99. Um par de controles Joy-Con custa USD79.99 e individualmente $49.99 cada. O Joy-con Grip sai por $29.99. O Switch Dock sai por $89.99. Com isso tudo em mente vamos fazer uma continha rápida?

USD299.99 (pacote do Switch) – USD89.99 (Dock) – USD29.99 (Grip) – USD79.99 (Par de Joy-Con) = USD100,02.

Arredondando, chegamos à conclusão que o preço isolado do console é de $100 e que os acessórios são 2/3 do preço. Algo estranho aí não? Eu por exemplo vou ter que comprar um Pro Controller logo de cara já que os Joy-Cons não foram feitos para as mãos de um adulto, então o preço já subiu para USD370, e é claro que também vou comprar um jogo que será o Zelda, o total chega a USD430. Ouch.

Lembrando que estamos falando obviamente dos preços americanos, impossível não comparar o preço com a concorrência. Neste exato momento, 10h53 do dia 18/01/2017 na Amazon um bundle do Uncharted 4 do PS4 custa USD268.87. Um bundle do Battlefield 1 do Xbox One sai por USD266.49. Em ambos os casos com HDs de 500gb e 1 jogo. Pode-se dizer que ambos estão oferecendo mais por menos em relação ao Nintendo Switch. É uma batalha ingrata.

Hoje eu fiquei sabendo que a razão de o Switch não ter um jogo incluído é para manter o preço abaixo de USD300, e nas palavras de Reggie Fils-Aime a GameSpot (traduzido e resumido) “Para o mercado americano queríamos o preço de $299. Claro que quanto mais barato é melhor, mas considerando a inclusão de dois Joy-Con, cabos e o dock, para manter o preço de $299 teria que ser sem software.” Aí eu digo ouch novamente.

Do meu ponto de vista, os Joy-Cons tem tecnologia demais (e desnecessária talvez) dentro dele. O gimmick do Switch é poder transportar o console para fora de casa, todo esse esforço da Nintendo em investir em controles sensoriais e de movimento é uma estratégia equivocada, em pleno 2017 é algo que não tem mais apelo. A mobilidade seria o suficiente para atrair o público e derrubaria o preço a um nível muito mais atraente. O preço é definitivamente negativo. Especialmente na comparação com a concorrência, o Switch cheira a mau negócio logo de cara.

Jogos, bons títulos e muita preocupação

O único jogo capaz de vender consoles no lançamento do Switch é o Zelda. Então quem curte Zelda tem um excelente motivo para comprar um Switch logo de cara. Já quem não curte não tem, simples assim. E que jogo bonito galera. Fiquei realmente impressionado! Espero que esse Zelda seja tão divertido quanto é bonito, sempre tenho um pouco de pé atrás com jogos de mundo aberto.

Os demais jogos do lançamento são:

1 2 Switch – Essa belezinha custa USD49.99!! Huhuuuuuuuu!! Vai vender feito areia no deserto. Faltam palavras para descrever 1 2 Switch. Sendo bem bonzinho eu poderia dizer que é um tech demo para o Joy-Con. Mas sabemos que eu não sou tão bonzinho assim. Aqui o papo é sincero. Então vou dizer 1 2 Switch teve uma das apresentações mais bizarras e surreais que eu tive a chance de assistir em toda minha vida gamer.

É um jogo de fingir. Você finge que está duelando no velho oeste, que está ordenhando vaca, que está comendo sanduiche. Nem olhar para a tela você precisa, é só usar a imaginação. A Nintendo pode chamar isso de jogo ou tech demo, mas ao cobrar USD49.99 eu vou chamar 1 2 Switch de insulto à inteligência das pessoas. É um jogo de fingir que custa USD49.99 criado somente para (tentar) justificar toda tecnologia dentro do Joy-Con. WTF. Jogo de fingir deveria custar ZERO USD e ser no máximo um download daqueles bem sem vergonhas.

Skylanders Imaginators – Sei vagamente do que se trata, não é algo do meu interesse.

Just Dance 2017 – Minha mulher curte.

Super Bomberman R – Grata surpresa! Bomberman andava esquecido desde aquele jogo bizarro no Xbox360, tomara que esse seja bom!

E de novo Reggie Fils-Aime vem nos galantear com belas palavras (resumido e traduzido) “Dia do lançamento não é tudo ou nada. É o ritmo constante de novos conteúdos que trarão as pessoas para dentro da plataforma.” Esse Reggie é um menino tão comunicativo não?

Só lamento que muito provavelmente ele esteja equivocado. Esse ritmo ao qual ele se refere está meio descompassado. Depois do lançamento só teremos novos jogos importantes perto do fim do ano. De forma que haverá um intervalo de mais de 6 meses sem nada relevante para jogar. Acho isso péssimo, o melhor que o Switch tem a oferecer são os jogos da própria Nintendo, e esses longos intervalos entre um jogo e outro não transmite confiança ao consumidor.

Mas sabemos que um console não sobrevive só com a Nintendo e felizmente tem mais jogos interessantes previstos para 2017, entre eles: Arms, Disgaea 5 Complete, Dragon Quest X e XI, Dragon Quest Heroes 1 & 2, Fire Emblem Warriors, Mario Kart 8 Deluxe, Splatoon 2 e Xenoblade 2.

E o suporte das third parties? Essa é a minha maior preocupação com relação ao Switch e na minha opinião é o que vai erguer o afundar o console. Randy Pitchford (CEO da GearBox) quando perguntado sobre a possibilidade de Borderlands 3 sair para o Switch disse no twitter (resumido e traduzido) “Não vejo isso acontecendo. Chegamos a conversar com a Nintendo mais a conversa parou por algum motivo. A Nintendo tem outras prioridades.” Preocupante não? Eu acho. Quando leio notícias como essa começo a ouvir uma sirene lá no fundo gritando WiiU WiiU WiiU.

Com muitas ressalvas, vou considerar os jogos como positivo.

Armazenamento completamente inadequado

Quando o assunto é specs sabemos quase nada. Mas lá no rodapé da pagina oficial do Switch diz que ele tem 32GB de memória interna para armazenamento e que suporta cartões SDXC de até 2 Terabytes. Ok, legal que pode expandir, mas 32GB é completamente fora da realidade que vivemos.

Explico. GTA 5 60GB. Shadow of Mordor 36 GB. Alien: Isolation 25GB. Ah mas mas mas os jogos de Switch vem em cartucho e não vai precisar armazenar. Ué e os updates vão aonde? E os jogos que forem grandes demais para um cartucho? E o conteúdo adicional? E os jogos digitais?

Realidade meu povo, 32GB vai te forçar a comprar um cartão de memória. Notícia quentinha para a galera, cartões SDXC não são baratos. Na Amazon o cartão SDXC mais em conta que encontrei de 128GB custa USD30. Lembrando que tanto PS4 quanto Xbox One vem com 500 GB de armazenamento de fábrica. Armazenamento é mais um negativo.

Nintendo Online

Sabemos que a Nintendo nunca foi grande coisa online e agora ela quer cobrar pelo serviço. Todas as outras cobram, então faz sentido correto? Faz. Não faz. Ou melhor, depende. Não sabemos o preço, mas conhecendo a BIG N, não deve ser USD 5 mensais. Não sabemos tudo o que engloba esse serviço. Sabemos que ela quer oferecer um jogo clássico de NES ou SNES por mês para o assinante. Já ouvi que esse jogo é rotativo, ou seja ao fim do mês ela troca o jogo, também já ouvi que o jogo é permanente e seu para sempre. De qualquer forma, um serviço online de qualidade da Nintendo seria algo positivo.

Conclusão e Previsões

O mercado financeiro não gostou do que a Nintendo tinha a dizer e os investidores não ficaram impressionados. Na sexta-feira do evento as ações da Nintendo caíram 5.8%, e na segunda-feira seguinte cairam mais 2% de acordo com a Bloomberg. A pressão não é pouca, e de acordo com o analista Hideki Yasuda do instituto Ace Research as duas primeiras semanas de vendas serão críticas para a Big N.

Ela tem que vender 2 milhões de unidades no primeiro quadrimestre fiscal do ano para ter sucesso. Ouch. Isso bate de frente com o que disse Reggie lembra? “Dia de lançamento não é tudo ou nada.” Pode não ser tudo ou nada, mas é quase isso. Tem que vender muitas unidades logo no começo, torcer para criar hype e no final do ano estar todo mundo louco de vontade para comprar o Switch. Com a estratégia atual eu acho difícil isso acontecer. Eu teria esperado um pouco mais para o lançamento, quem sabe até dois meses antes do natal quando mais jogos importantes estivessem finalizados. Já pensou ter para comprar logo de cara Zelda, Mario, Xenoblade 2? Isso sim seria um line up de respeito.

Mas quem sabe até o fim do ano o preço caia, USD 249 seria de bom tamanho, um bundle Zelda, outro bundle Mario. Acho que é muito cedo para ser alarmista mas as cartas que a Nintendo colocou na mesa não ajudam. Existe também uma mensagem confusa em relação ao 3DS. Reggie diz que Switch e 3DS podem conviver lado a lado sem problema algum, são produtos diferentes com jogos diferentes para públicos diferentes. Pode até ser, mas acho que não é essa a percepção do mercado.

O fato do Switch ter mobilidade faz as pessoas pensarem automaticamente que ele veio para substituir o 3DS. A mensagem em geral é muito confusa. A Nintendo diz que o Switch é um console de mesa que você pode carregar por aí, mas o console é um tablet. Porém é um tablet com bateria de curta duração. No primeiro comercial do Switch não apareceu uma criança sequer, no entanto os Joy-Com são minúsculos, como se fossem feitos para as mãos das crianças.

Minha opinião é de que é impossível não comparar o Switch a concorrência que tem muito mais a oferecer com um preço menor e mais atraente. Por esse motivo não consigo ver o Switch vendendo muito mais do que o WiiU vendeu.

Com o que sabemos até agora, o apelo é forte entre a base de fãs da Nintendo, porém fora dela me parece que ele falha em impressionar. Preço alto, poucos jogos no lançamento, concorrência forte e desconfiança do mercado e dos consumidores. O evento apesar de não ter sido ruim, não fez nenhum favor para a BIG N.

Gostaria muito que o console fosse um sucesso, mas não me parece que seja o caso até o momento. Mas e você leitor apertador, concorda, discorda? Qual sua opinião sobre o futuro do Switch e da Nintendo?

Você chegou até aqui, e agora?

Apertador de verdade não lê uma materiazinha e vaza! Tem muito mais coisa para fazer. Você pode:

Seguir o Aperte nas redes socias ajuda muito! Grato!

Sugerir o tema da próxima matéria

E se eu usar sua sugestão você vai ser recompensado. Você pode enviar sua sugestão aqui.

Participar da Promoção que o aperte fez com a warpzone

A warpzone é a maior publicação retrogamer do Brasil! Que tal ganhar R$100 + frete grátis para gastar na Loja Warpzone? Promoção por tempo limitado! Participe, é moleza! Saiba como aqui.

E ainda ler um monte de outras matérias:

  • Jorge Miashike

    Belo review, apertei o like e compartilhando em todas as redes.

    • ED!

      amiegan, assim esse velho coração hipertrofiado fica repleto de alegria kkk

  • Helder.

    eu acho que eu ri mais na hora que eu Li
    “Tio Bill entrou na câmara criogênica” hauiahauihauihaiuHIUAHIUAH.
    Muito bom o apontamento até mesmo porque os Japoneses com esse nacionalismo acabam deixando de participar de muitas coisas valorosas ao redor do Mundo.

    abraço Ed.

  • Juliano Coelho

    Quem manda ir na casa dia outros se achando…

© 2014-2016 Aperte-Start.Net • SITE DESIGN: EDPEIXOTO.COM
FECHAR