Matérias

Matérias sobre videogames, sem perder a sensualidade.

Back to the Passado: 1993

Back to the Passado: 1993 com Maurício Silvério, o Mauhard do Retrohard! Canal Aperte Start #072

1280 720 ED!

Back to the Passado chega ao quinto episódio viajando no tempo para o ano de 1993, com a participação especial de Maurício Silvério, o Mauhard do canal Retrohard e seu sonho de conhecer o Jurassic Park.

Mais um episódio transbordando de nostalgia e muito videogame! Assista aqui http://bit.ly/bttp1993!

Inscreva-se no Canal Aperte Start http://bit.ly/canalapertestart

Back to the Passado

Back to the Passado é a série que é pura nostalgia do Canal Aperte Start, viajamos no tempo pelos anos dos videogames, toda segunda-feira um novo episódio.

Canal Retrohard: http://bit.ly/retrohard

#nostalgia #anos90

Episódios anteriores:

Back to the Passado: 1985 http://bit.ly/bttp1985
Back to the Passado: 1989 http://bit.ly/bttp1989plus

Quer maratonar?

Todos os episódios: http://bit.ly/bttpplay

Quer Jogos baratos?

Humble Bundle: http://bit.ly/apertebundle

Entre em contato conosco

Facebook e Instagram @apertestartoficial

email: contato@apertestart.net

Caixa Postal 4132
Rua Holanda 202
CEP 82501970
Paraná – Curitiba

História dos jogos cancelados para Sega Mega Cd e Sega 32x.

1280 720 Dan

Fala pessoal tudo bem? Olha eu aqui novamente…

Faz um bom tempo em que eu não publico nada, mas hoje trazendo curiosidades sobre tais jogos na qual foram cancelados para Mega Cd/ Sega Cd e 32X.

Mas irei comentar só alguns deles, pois se fosse falar sobre cada um, eu teria que criar uma mini revista para falar de tudo hahaha!  Vamos lá?

Alguns títulos até me corta o coração só de saber do seu cancelamento, pois só de ver certos nomes fico imaginando como seria sua existência na qual podendo estar jogando hoje.

Começamos então falando sobre:

Morphs: Flashback 2 – Mega CD / Sega CD.

É a sequência cancelada do jogo original desenvolvido em 1992 pela Delphine Software do nosso famoso Mega Drive.  Flashback 2 teria sido um jogo de plataforma 2D cinematográfica sci-fi e este novo capítulo foi planejado para o grande  Genesis / Mega Drive Mega CD add-on. Por algumas razões, a Delphine era grande fã da Sega Mega Drive, contou Paul Cussiet (criador de Flashback) para a revista Retro Gamer n°118: “ A melhor versão para mim é a versão para Mega Drive. O jogo foi criado para esta plataforma “.

O Flashback 2 nunca foi oficialmente anunciado pela Delphine, mas pudemos reunir alguns detalhes sobre essa sequência perdida graças a Thierry Levastre , um desenvolvedor francês que trabalhou na Delphine como artista 2D / 3D por muitos anos. Thierry nos disse que a equipe Flashback começou a trabalhar no Flashback 2 depois que o primeiro foi lançado, mas apenas um rascunho inicial de sua história, intro do jogo e uma curta animação de um mech foram feitos antes do projeto ser cancelado .

Inicialmente parece que a Delphine decidiu se afastar dos jogos de ficção científica e começou a trabalhar em uma nova aventura de fantasia medieval chamada “ Dragon Blade ” e um novo jogo de corrida intitulado “ Enduro Rider ”, que mais tarde foram escolhidos pela BMG Interactive para serem publicados. para PC e Playstation nos EUA. Depois de muitos anos de desenvolvimento, Dragon Blade evoluiu para Darkstone: Evil Reigns (finalmente publicado em 1999 ) e Enduro Rider provavelmente se tornou  Moto Racer (finalmente publicado em 1997).

Podemos especular que Delphine teve alguns problemas internos de desenvolvimento com Dragon Blade e Enduro Rider, pois eles logo ressuscitaram sua sequência de Flashback para trabalhar novamente nessa ideia. Eles eliminaram suas clássicas animações gráficas 2D e rotoscopadas, para investir seus esforços na criação de um mundo totalmente 3D . No final, o projeto evoluiu para “ Fade to Black ”, a sequência 3D oficial do Flashback lançada em 1995 para PC e Playstation. Até onde sabemos, a história inicial planejada para o Flashback 2 foi adaptada e reutilizada para o Fade to Black.

É interessante notar que Delphine também trabalhou no terceiro capítulo cancelado de Flashback , intitulado “ Flashback Legends ”, em desenvolvimento para o GBA no início dos anos 2000. Infelizmente a Delphine teve que fechar as portas em 2002 por falência.

Europe Racers – Mega CD / Sega CD

European Racers é um jogo de corrida para IBM PC lançado em 1993. Na qual o mesmo seria portado para o Mega-CD da Sega em 1994, mas, apesar de ser anunciado na América do Norte, nunca foi lançado.

Revell-Monogram anunciou o lançamento do European Racers, o primeiro título em sua revolucionária nova linha de software Power Modeler para junho de 1994. A versão Sega CD de European Racers foi planejada para ser lançada no final do ano e seria publicada pela Dreamers Guild.

O jogo falava de ser um  simulador de condução que poderia ser jogado com qualquer um dos quatro pilotos europeus como Porsche 911 Slant Nose,  Bugatti EB110 turbo,  Italdesign Nazca M121 e o Lamborghini Countach, e começa com uma corrida desafiadora, excitante e realista. através das estradas secundárias da Europa, desviando dos obstáculos e às vezes fugindo da polícia para chegar a uma das quatro pistas: a Zurich Switchback, Sicilian Jackknife, Barcelona Corkscrew  e  Stuttgart Screamer. Se os jogadores chegarem na pista a tempo, antes de ficarem sem gasolina ou incorrerem em muitos danos ao carro, eles enfrentarão cinco competidores na tela, em uma corrida repleta de ação de cinco voltas.

Segmentos de vídeo aleatoriamente selecionados aparecem ao longo do jogo, apresentando um policial, um membro experiente da tripulação, um apresentador de esportes, um guardião esperto, um atendente de posto de gasolina e uma rainha da beleza admiradora, para adicionar emoção e realismo incomparável.

Anúncio impresso em Sega Visions (EUA) # 15: “Outubro / Novembro de 1993”

Os jogadores podia até  modificar seu carro, antes e durante a corrida, para mudar seu desempenho em resposta a condições meteorológicas e de estrada geradas aleatoriamente. As modificações incluem alternar entre a transmissão automática ou  manual, e selecionar entre cinco configurações de asa ou spoiler e três opções de pneus. Os jogadores também teria que determinar com quanto combustível começar a corrida e se devia ou  não reabastecer  para  não correr o risco de terminar o jogo.

Para tornar o jogo o mais realista possível, as especificações técnicas de cada carro foram incorporadas ao jogo para simular o desempenho real de cada um dos carros esportivos europeus

Pop´N Land – Mega Cd / Sega Cd

Pop’n Land é um jogo de ação de rolagem lateral que também foi outro na lista dos cancelados para o Sega Mega CD, provavelmente desenvolvido por Takeru (como você pode ler no GDRI ) e publicado pela editora Sur De Wave de Takeru . O jogo adicionou um sabor de RPG à sua jogabilidade, permitindo que os jogadores costumizar seu herói. Na verdade, você poderia ter atribuído 16 opções diferentes para a cabeça, corpo e arma, permitindo 4.096 combinações diferentes, algumas outras úteis totalmente sem valor. Pop’n Land tinha 15 fases fofas e coloridas, cada uma com um chefe único. O jogo nunca foi lançado por razões desconhecidas.

Nem tudo foi perdido, porque uma faixa de música Pop’n Land “Pleasant Companions” composta por Yoshitsugu Yokoyama e organizada por Issei Asaoka está incluída no Super Mega Drive Fan – Mega-CD Super Music Collection Vol.1.

The Strangers – Mega Cd / Sega Cd

The Strangers seria um jogo de luta de um para um baseado em personagens de quadrinhos de Malibu (mais três novos personagens feitos especificamente para este jogo). No EGM edição 59 há uma pequena pré-visualização do jogo em um estado muito inicial. The Strangers provavelmente nunca foi lançado porque o desenvolvedor, Malibu Interactive, fechou por volta de 1994 (a previsão é de meados de 1994)

Esse seria na verdade muito cômico:

Hammer vs. Evil D. in Soulfire Mega Cd / Sega Cd

Um jogo de ação cancelado baseado no MC Hammer , um rapper americano mais popular no final dos anos 80 até meados dos anos 90. Quem lembra de uma das musicas suas mais famosa U Can’t Touch This! O jogo estava em desenvolvimento pela GTE Entertainment e teria sido publicado pela Sega para o seu add-on Mega CD para o Genesis / Mega Drive, mas por algumas razões, nunca foi lançado.

Nós nem sabemos muito sobre a jogabilidade “Hammer vs. Evil D. in Soulfire” e apenas um pequeno vídeo pode ser visto nos vídeos abaixo (segundo às 03:45). Se você conhece alguém que trabalhou neste jogo, por favor nos avise!

Bom, falaremos um pouquinho agora dos títulos do 32X.

Castlevania “The Bloodletting”. – Sega 32x

Como podemos ler no Castlevania Wiki , Castlevania: The Bloodletting é um jogo Castlevania cancelado que foi planejado para ser lançado para o console Sega 32X. Um único sprite para três personagens e isso foi tudo. O que tinham deste jogo. Através de entrevistas posteriores com Iga, foi revelado que o jogo se destinava a apresentar Richter Belmont, Maria Renard e um rival para Richter, na qual não foi revelado.

Embora anunciado para o Sega 32x (incluindo dois relatados com sua screenshots), jogo foi surgir apenas como, Symphony of the Night que foi anunciado para o PlayStation.

A Konami naquele tempo mostrou alguns projetos para algumas grandes franquias, com Parodius, e Dracula X para o SNES. E no meio havia também Castlevania: The Bloodletting, um novo Castlevania, que estava sendo planejado para o 32X. No entanto, a equipe que trabalhava neste jogo acabou sendo engolida pela equipe do Symphony of the Night, e Bloodletting não existia mais.

“E para quem não sabe, esse Castlevania seria uma continuação de “ Rondo of Blood” do famoso Pc Engine.”

Lembram quando falei que coração até apertava sabendo de tais títulos cancelados?, pois bem esse aqui é um deles.

Caso queiram saber mais sobre a historia do Castlevania Bloodletting, recomendo acessar a página no link: http://www.vgmuseum.com/mrp/2/canceled-page2.htm

X-Men: Mind Games – Sega 32x

X-Men: Mind Games é um jogo de ação cancelado que estava em desenvolvimento pela Scavenger e teria sido publicado pela SEGA em 1995/1996 para o 32X. O jogo foi exibido na E3 1995 e uma demo jogável foi encontrada e vazada pela comunidade Sega Saturno em agosto de 2009!

Esta versão só pode ser reproduzida através de hardware real (edit: agora suportado pelo Kega Fusion) e é um protótipo inicial com um par de níveis. Um espelho do beta vazado pode ser baixado no Hidden Palace.

Bom, o próximo de fato alguns vão ficar espantados, principalmente nosso amigo @Godoy do VGDB.

Soulstar – 32x / Jaguar Cd

O Soulstar foi um jogo de Mega-CD criado pela Core Design e, após seu lançamento, duas conversões separadas foram planejadas. Um era uma porta para o CD do Jaguar, sob o mesmo nome, enquanto o outro era uma versão atualizada para o 32X, sob o nome de Soulstar X. No final, nenhum deles foi lançado.

Bom galera e isso ae!, queria poder relatar e comentar mais sobre os títulos, porém ficaria na verdade muito extenso, até como havia dito antes, então paro por aqui e deixo a vocês uma vasta listagem abaixo dos títulos cancelados:

 

MEGA CD / SEGA CD

Captain Commando

Citizen X

Indiana Jones  – and the fate of Atlantis

Burning Fists

Monkey Island 2

Sister Sonic

Penn and Tellar´s

Battletech

Europe Racer

Flashback 2

Hardcore

The 4th Unit: Merry Go Round

Bug Blasters: The Exterminators

 

SEGA 32X

Fractal Racer

X-Men mind games legion

Jet Ski Rage

Phankeeh Akkshun!

Ratchet and Bolt,Saban’s

Virtual Hamster

Alien vs Predator

Timmy Time

Heavy Machinery

32X-Treme

Adventures of Hollywood Spot, The

Alien Trilogy

Alone in the Dark 2 32X CD

Apache
Batman Forever

Castlevania the Bloodtletting
Casper
Clay Fighter 2
College Basketball
College Basketball’s National Championship Hosted By Billy Parker
Converse City Ball Tour
Ecco The Dolphin
Golf
Hoops
Izzy’s Quest for the Olympic Rings
Judge Dredd
Kingdom: Far Reaches
Midnight Raiders 32X CD
NBA Action ’96
NFL Trivia Challenge
Power Rangers 32X CD
Primal Rage 32X CD
Prime Time NFL Football
Race Drivin’
Ratchet & Bolt
RayMan
Revolution X
Shadow Of Atlantis
Shell Shock
Soul Star X
SPOT
Spot Goes to Hollywood
Street Fighter: The Movie
Surgical Strike
Thunderhawk 2
Tom Cat Alley Deluxe
Virtua Hamster
Virtual Golf
VR Troopers
Wing War

Então é isso galera espero que tenham gostado.

Forte abraço e até mais.

Dan.

O Fiasco do Diablo Immortal

1280 720 ED!

Você é fã do diablo? Eu joguei os diablos 1 e 2 mas depois disso parei de acompanhar a série, mas muita gente ainda curte e joga, o diablo 3 fez muito sucesso e inclusive saiu no último dia 2 até para o nintendo switch. Mesmo sendo um jogo de 2012 ainda é relevante e tem uma legião de fãs aguardando a próximo jogo da franquia.

Diablo é um jogo produzido pela Blizzard Entertainment que é da Activision. Tem um evento anual chamado Blizzcon, onde são anunciadas as novidades do mundo da blizzard. Tava todo mundo esperando uma novidade sobre diablo, e teve, porém dá para falar que desapontou geral. Diablo Immortal foi anunciado na blizzcon no último dia 2 de novembro e para desespero dos fãs da franquia, é um jogo exclusivo de celular para android e iOS. O que resultou em vaias e uma reação ultra negativa da comunidade, um desastre completo.

Diablo é um jogo tradicionalmente de PC e Consoles, então por que diablos ha ha ha a blizzard escolheu lançar um jogo exclusivo para celular? Vamos combinar o seguinte, sempre que você ver uma franquia tradicional aparecendo em celular a resposta é sempre a mesma: Grana. É um mercado potencial gigantesco, uma boa parcela da população ativa do mundo tem um celular capaz de rodar jogos, na teoria então faz sentido colocar jogos nesse mercado. Na teoria, pq jogos de celular tem uma fama muito ruim entre os jogadores tradicionais de PC e consoles, por muitos motivos. São jogos costumeiramente abarrotados de coisas que jogadores tradicionais detestam, como mecânicas Pay 2 win e Microtransactions, controles de toque e telas pequenas. Mas é uma tendência, tem jogo para caramba para celular, mas muito mais quantidade do que qualidade.

A blizzard errou.

A grande bobagem foi ter pego uma franquia tradicional como Diablo e apresentar um jogo de celular para um plateia de jogadores de PC e consoles achando que isso faria sucesso, ainda mais na blizzcon, um evento pago e repleto de fãs.  Sem noção né? Mas a bobagem não para por aí, o anúncio teve repercussão tão negativa nas redes sociais que a Blizzard tentou de todo jeito esconder o fato, chegou a apagar e fazer o upload dos vídeos novamente na esperança de ganhar menos dislikes, coisa que a internet pegou em poucos segundos e só piorou a situação ainda mais. Sinceramente, eu raramente jogo qualquer coisa de celular, então não tenho porque me enfurecer com o Diablo Imortal, e também acho que ela não está errada em querer abocanhar o mercado de jogos de celular, mas foi um erro de estratégia bizonho da blizzard, que só mostra desconhecer completamente o perfil da sua própria audiência.

Não deixe de se inscrever no nosso canal no youtube e de nos seguir no insta @apertestartoficial.

Eu sou o Ed, e até o próximo post.

Paprium, o que aconteceu

Paprium, o que aconteceu?

1280 720 ED!

Se você curte o Megadrive, e por que não curtiria? Talvez tenha ouvido falar sobre Paprium, um jogo novo para o nosso querido mega drive que prometia ser o maior e o melhor jogo de mega já produzido e era para ter sido lançado em 16 de Setembro de 2017. Mas não foi. O que aconteceu? Será que tem novidades?

Primeiro vou te falar de onde veio o Paprium e o que ele prometia. Watermelon, aquela produtora que criou um outro jogo de Mega Drive, ou que pelo menos nasceu no nele já que foi parar no Dreamcast e até no Steam, chamado Pier Solar, um RPG em cartucho de 64 mega, o maior até aquele momento e que usa até o sega CD para áudio, um jogo muito bem feito sem dúvida. Por esse jogo, a Watermelon ganhou boa reputação no mercado, especialmente pela qualidade técnica.

Vou interromper sua leitura para dizer que essa matéria também está em vídeo no canal do Aperte no youtube, logo aí embaixo na verdade ;)

O próximo projeto da Watermelonse chamou ProjectY, e começou a ser anunciado lá por 2013. Em 2015 surgiu o primeiro trailer do jogo em desenvolvimento, que já foi o suficiente para chamar a atenção da galera. Mas foi em 2017 que o jogo passou oficialmente a se chamar Paprium e ganhou um segundo trailer que fez todo mundo babar, eu inclusive. Se liga no que o jogo prometeu:

Cartucho de 80 Megabit, o maior feito, maior inclusive que o pier solar, 24 fases, 5 Personagens jogáveis, 60fps constantes, gráficos 16-bit incríveis e áudio em 48khz, usando fm, psg e chip de som especial chamado DT128M16VA1LT que eleva o número de canais de som do meguinha para 24! Soa incrível? Sem dúvida. Com grande hype, vem grande responsabilidades, ou deveria pelo menos. Já que a essa altura o jogo já estava sendo vendido, no formato de pré venda. Mas o detalhe é que diferente do Pier Solar que usou o Kickstarter, Paprium resolveu fazer seu próprio financiamento coletivo, não é o fim do mundo, mas é ligeiramente suspeito. Kickstarter oferece um mínimo de proteção para quem financia os projetos através dele, já em um financiamento coletivo feito por conta própria o consumidor está entregue a própria sorte.

Como disse lá no comecinho, a data original de lançamento do jogo era 16 de setembro de 2017, e como estamos em outubro de 2018 e até agora nada de jogo, algo deu muito errado no meio do caminho. E o que deu errado? Tem alguma coisa conhecida e muitos boatos e especulações. A Watermelon reportou que o Paypal bloqueou a grana das pré-vendas e isso causou o primeiro grande adiamento do jogo. Depois houve um suposto problema com o fornecedor do chip DT128M16VA1LT, que inclusive foi colocado sob suspeita se esse chip era real ou não já que a empresa dita como fornecedora supostamente não existia. Some a isso o fato de que a Watermelon não perguntava o endereço de entrega na hora da pré-venda. Aí você também lembra de que Pier Solar sofreu vários adiamentos também, e o pior de tudo, que quem comprou o jogo em pré-venda muito raramente recebia qualquer comunicado da empresa, eu a empresa respondia os e-mails enviados para ela. Muitos desistiram da compra e deram como dinheiro perdido.

Mas no dia 8 de Outubro de 2018, a Watermelon saiu das sombras e fez um comunicado importante, que no dia 27 de Outubro de 2018 será feita uma festa em Paris para comemorar os 30 anos do Mega Drive E do lançamento do Paprium! Após praticamente um ano de silêncio, aparentemente essa é a nova data de lançamento de um jogo que está a mais de 5 anos em desenvolvimento. E claro, pode ser considerado uma boa notícia mas as suspeitas continuam. A Watermelon diz que espera entregar todos os jogos aos seus compradores até o fim do ano. Tomara, eu não comprei o jogo na pré-venda por esquecimento, mas vários amigos meus compraram e já tinham desistido do Paprium. Por curiosidade eu fui até o site da Watermelon ver se ainda é possível comprar o jogo, e parece que ainda dá. No esquema de pré-venda claro. E como está na boca do lançamento, talvez seja uma boa hora para arriscar? Sei lá, ainda estou na dúvida, até porque não está barato, a edição especial tá $99 trumps e a comum $69 trumps. Vontade dá, mas….

E o que você achou dessa saga do Paprium? Comprou ou pretende comprar ainda? Me conta aí nos comentários que eu sempre leio e respondo tudo. E se curtiu aperta o like e compartilha nas suas redes sociais. Hoje também tem vídeo meu lá no VGDB sobre a Brasil game show e não deixe de acompanhar o canal e prestar atenção nas hashtags. 

Não deixe de se inscrever no nosso canal no youtube e de nos seguir no insta @apertestartoficial.

Eu sou o Ed, e até amanhã.

Está faltando alma nos jogos?

Tá faltando alma nos videogames?

1280 720 ED!

Será que tá faltando alma nos videogames? O que seria a alma de um jogo?

Vou começar desejando um bom sábado para você  e também dizer que eu fiquei muito feliz em entregar os ingressos da BGS 2018 ontem para o vencedor do desafio, que foi o Allan Alves Santana. Parabéns maninho e boa BGS para você!

Mas e aí, será que tá faltando alma nos videogames? E o que é alma? Serge Hascoet, um dos chefões da Ubisoft recentemente declarou para a Gameinformer que ele acha que está faltando alma na indústria dos videogames. E eu concordo parcialmente com ele. No que diz respeito aos videogames, alma para mim é a soma de alguns fatores: criatividade, construção de mundos, narrativa, personalidade e o mais importante RISCO. E eu penso que pelo menos quatro dessas cinco coisas tem que estar presentes para um jogo ter alma.

E isso não depende do meu gosto pessoal ou do seu. É uma questão de olhar friamente para os fatos. Por exemplo, GTA V tem todos esses fatores. FIFA tem nenhum. E GTA é um jogo de 2013, já tem 5 anos. Já FIFA todo ano tem um. Ambos faturam uma montanhas de dinheiro, porém GTA é um trabalho primoroso. Já FIFA é um catadão de reciclagem anual. E eu falo desses dois exemplos bem distintos para mostrar o contraste de jogos com e sem alma. E eu não gosto muito de nenhum deles, GTA gosto um pouco mais.

Quando menos um jogo se arrisca, menos alma ele vai ter. E infelizmente a indústria dos videogames está dividida entre aquelas produtoras que querem fazer grandes jogos e ganhar dinheiro através deles, e aquelas que querem ganhar dinheiro fazendo o mínimo esforço possível. O que é até certo ponto bem compreensível, os jogos grandes tem um custo de produção altíssimo, quando um estúdio arrisca demais e erra ele quebra. Então vou acrescentar mais um fator aí, coragem.

Um estúdio para criar um jogo com alma tem que ter coragem. Coisa que não falta para muitos estúdios independentes e que ao mesmo tempo é coisa rara entre os grandes. Eu vejo a Ubisoft do Serge Hascoet nessa questão da alma em um meio termo. Ela recicla bastante o Assassins Creed, mas as vezes tenta algo novo que nem sempre dá certo. Mas tenta. The Crew, The Division, Watch Dogs, Rayman, mas tem um jogo dela que eu estou aguardando até com bastante expectativa que é o Beyond Good and Evil 2, que tem tudo para ser um jogo cheio de alma.

E você, o que pensa disso tudo, acha que tá faltando alma nos jogos? O que é alma para você? Deixa aí nos comentários que eu sempre leio e respondo tudo. Se curtiu aperta o like e compartilhe nas suas redes sociais.

Não deixe de se inscrever no nosso canal no youtube e de nos seguir no insta @apertestartoficial.

Eu sou o Ed, e até amanhã.

30 dias 30 vídeos – Tudo o que você precisa saber

1280 720 ED!

Vou contar um segredo para você. Na real foi mais uma meta pessoal do que um segredo. 30 dias 30 vídeos. Eu coloquei na minha cabeça que ia fazer esse canal ir pra frente, e que ia fazer vídeos todo dia durante um mês. Ontem eu fiz o trigésimo vídeo e hoje eu vou contar pra você como foi. 

Eu recomecei a fazer vídeos nesse canal no dia 2 de Setembro, então ontem foram 30 dias exatos. E eu vou contar o que aprendi durante esses 30 dias para você que acompanha o canal, e para você que talvez tenha a vontade de ter seu próprio canal no youtube.

Como de costume, essa matéria também está disponível em vídeo no youtube. Logo aí embaixo, só clicar no play ;)

E vou começar pela parte boa, a parte dos resultados. O Aperte é um canal pequeno, tá quase chegando nos 400 inscritos. Nesses 30 dias o canal ganhou mais de 80 inscritos, um crescimento orgânico de 33% em um mês, isso foi sem precedentes para o Aperte. Todos os índices analíticos melhoraram. Watch time que é o tempo total de vídeos assistidos cresceu de 3000 minutos para 15000, a média de retenção saiu dos 52% para cerca de 70%. Os vídeos do canal passaram a ser sugeridos com mais frequência, o primeiro vídeo sobre o Polymega estava quase em 1000 views da última vez que vi, isso é quase 3x o número de inscritos do canal, e é o vídeo mais visto até o momento. Então do ponto de vista dos resultados, foi e está sendo muito positivo. E isso eu tenho que agradecer a você que vem aqui e gasta seu tempo no Aperte, muito obrigado mesmo.

Agora vamos a parte que é realmente difícil. Moçada, fazer vídeo todo dia é muito trabalhoso. Eu sabia que ia ser assim, mas foi muito mais do que eu imaginava. Fiz isso durante 30 dias e estou exausto. Aqui no Aperte sou eu que faço tudo, pesquisa, roteiro, edição de áudio, edição de vídeo, thumbs, publicação do texto no blog, as metatags dos vídeos, divulgação. O tempo que isso tudo consome é inacreditável. A primeira semana foi terrível e parecia que eu estava todo dia com a corda no pescoço. Mas claro, com a prática você começa a se organizar melhor e a gastar menos tempo com certas tarefas. Disso tudo, o mais complicado todo dia ter que escolher um tema e escrever um roteiro. Todo dia implica, sábado, domingo e feriados. Se eu não quero fazer vídeo no final de semana, isso implica em trabalhar dobrado pelo menos dois dias. Só posso descrever como um desafio motivacional.

Imagino que você saiba, mas canal pequeno no youtube é só para os guerreiros, não ganho e nunca ganhei e nem vou ganhar tão cedo um centavo em publicidade com meus vídeos. Com as últimas mudanças nas políticas de monetização do youtube, o Aperte não se qualifica para receita publicitária. Tem que ter 1000 inscritos e 4 mil horas assistidas. Para um canal médio ou grande isso é nada, para um canal pequeno é um tarefa grande. Digo isso para que você entenda que não é a grana que me motiva para criar conteúdo aqui. Claro que eu quero fazer o canal crescer. Mas o que me motiva é você. Você que vem aqui e gasta seu tempo no Aperte, que assiste os vídeos, que deixa like e que comenta, que compartilha o vídeo. Quando olho o inbox do gmail e vejo que tem novos inscritos, moçada isso é a recompensa pelo trabalho. É o que dá a motivação e a energia para no dia seguinte tentar fazer o melhor que puder novamente. Eu crio os vídeos para entreter e se possível informar também, e quando isso acontece parece que o trabalho vira só satisfação.

Por outro lado quando um vídeo não vai bem pode ter o efeito contrário. E essa é uma outra grande dificuldade. Saber identificar o que é o melhor. Às vezes um vídeo vai bem, outras nem tanto e nunca é super claro o motivo. Por isso a interação com você é super importante. É a forma mais objetiva de entender o que você gosta ou não de assistir. E se você tem alguma idéia, pergunta, sugestão, crítica ou elogio, deixa ai nos comentários que eu sempre leio e respondo tudo.

Vídeo todo dia dá resultado, pelo menos nesse momento é uma das coisas que o youtube gosta. Mas requer muito, esforço, motivação e determinação, especialmente se o seu canal é pequeno. Mas se é algo que você quer muito, ta aí um caminho para você. Dito isso, provavelmente a partir de agora vou me dar folga nos finais de semana. Ainda posso e devo publicar vídeos de final de semana, mas não quero a obrigação de fazer isso sempre. Até porque eu tenho planos para mais dois canais aqui no Youtube, mas isso fica para outro dia.

Muito obrigado por chegar até o finalzinho. Não esqueça que o Aperte vai presentear alguém com dois ingressos para a Brasil Game Show, e é só acompanhar o canal que você corre o risco de ganhar. Se curtiu deixa aquele like e compartilha com os amigos.

Não deixe de se inscrever no nosso canal no youtube e de nos seguir no insta @apertestartoficial.

Eu sou o Ed, e até amanhã.

Você pode ganhar DOIS ingressos para a BGS2018

1280 720 ED!

O Aperte Start vai colocar duas pessoas para dentro da Brasil Game Show 2018. Não conhece a Brasil Game Show? É o maior evento sobre videogames da América Latina, e vai ocorrer entre os dias 10 e 14 de Outubro de 2018, lá no expo center norte em São Paulo. É uma parada imperdível para quem gosta de videogames, vai ter muitos convidados, ano passado eu conheci o Hideo Kojima lá, e esse ano vai ter Shota Nakama. #ShotaNaBGS Se você nunca viu Shota de perto, tá aí sua chance. E tem muito mais gente do mundo dos games para conhecer, vai ter o Harada da série Tekken, o Nolan Bushnell da Atari, o Charles Martinet que é o dublador do Mario, é muita gente, o link para o site da brasil game show está aqui e lá você pega todos os detalhes.

Para facilitar sua vida, o vídeo com todos os detalhes sobre os ingressos está aí embaixo.

E o Aperte vai estar lá na Brasil Game Show, junto com o VGDB, o video game data base, que vai estar presente como expositor pelo segundo ano seguido. Eu estarei por lá somente no dia 10/10, mas o VGDB estará lá todos os dias, então essa é a sua chance de conhecer a equipe pessoalmente e trocar uma idéia, quem sabe até o Godoy autografa o seu jaguar.

Aliás as cortesias que eu vou presentear aqui no Aperte, foram gentilmente cedidas pelo VGDB. Então não deixe de acompanhar o projeto do VGDB, que é o museu virtual brasileiro dos videogames, tanto no site vgdb.com.br quanto no canal no Youtube vgdbbr.

Então agora preste muita atenção como é que você pode ganhar esses dois ingressos para a Brasil Game Show 2018, e os ingressos são para a quinta feira dia 11/10. E se você fosse comprar, cada ingresso no momento tá custando R$100 na meia entrada,  então se liga:

  • Qualquer pessoa que acompanhe o canal pode ganhar, não precisa estar inscrito. Mas se você for inscrito e tiver clicado no sininho vai levar vantagem.
  • Durante essa semana, entre os dias primeiro de outubro e 5 de outubro eu vou soltar um vídeo com uma pergunta, e nesse mesmo vídeo você vai responder essa pergunta nos comentários. O primeiro que comentar a resposta correta vai levar as duas cortesias para o dia 11/10/2018, na quinta feira da Brasil Game Show. Quem for inscrito e tiver clicado no sininho vai levar vantagem porque será notificado primeiro pelo Youtube.

Então é isso, a dica que eu posso dar é acompanhe o Aperte com atenção e se liga nas hashtags do dia que você pode levar essas duas cortesias e curtir a Brasil Game Show 2018.

Não deixe de se inscrever no nosso canal no youtube e de nos seguir no insta @apertestartoficial.

Eu sou o Ed, e até amanhã.

Saudade da época dos videogames clássicos

Saudade da época dos videogames clássicos

1280 720 ED!

Já parou para pensar nos jogos que temos disponíveis hoje? Spider Man, God of war, são coisas que jamais imaginamos quando éramos crianças. Mas apesar de tanta tecnologia, ainda bate aquela saudade de uma época mais simples, daquela época dos videogames clássicos. É disso que vou falar hoje.

Assim como quem não quer nada, vou te contar que essa matéria também está disponível em vídeo no Youtube, e tá super nostálgica e recheada de convidados especiais. Tem Alex Mamed, Vivi Scarabelo, Marcus Garret, Cleber Marques da Revista Warpzone, Juan do Snestalgia e o Mauhard! do Retrohard! Para facilitar ainda mais sua vida, o vídeo está aí embaixo, só clicar no play;

Locadoras

Comprar jogos no Brasil nunca foi muito fácil. Desde a época do Atari, como praticamente tudo era importado, havia pouca disponibilidade e o que tinha era caro. Então se você gostava de videogame naquela época, tenho quase certeza de que era sócio de alguma locadora. Eu deve ter sido sócio de umas 10 pelo menos. Às vezes você escolhia aquela perto de onde você morava, outras vezes ia naquela que era longe mas que tinha mais jogos para escolher. Quem podia alugar durante a semana era melhor, no final de semana além de mais caro os jogos evaporaram. Foi assim conheci a maioria dos jogos do Atari. Também aluguei bastante jogos de nintendinho e mega drive. Ainda tem locadoras de jogos hoje, mas não é nem de longe a mesma coisa. Naquela época ir na locadora era um evento, sempre rolava aquela ansiedade de será que vai ter novidade? Será que tal jogo vai estar lá? Era bom demais mesmo.

Revistas

Se ir na locadora era um evento, ir na banca de jornal era outro. Internet começou a aparecer lá pelo meio da década de 90, antes disso para ficar sabendo das novidades do mundo dos games haviam três formas, ou na conversa com os amigos, quando passava alguma coisa na televisão e a principal, nas revistas. Quando eu estava sem grana para alugar jogos, ia nas bancas de jornal e passava horas folheando as revistas que estavam abertas. Já haviam revistas nacionais, mas quase sempre as informações nela estavam meio atrasadas, o legal mesmo era pegar as revistas importadas. E aí o mundo se abria para você. Quanta coisa eu só fiquei sabendo que existia porque tinha lido numa revista importada. Aqui no Brasil chegava quase nada, por exemplo, durante muito tempo atari para mim sempre foi o 2600, nunca imaginava que houvessem outros modelos ou que a atari também fabricava computadores. Melhor ainda que as revistas importadas americanas ou inglesas, eram as japonesas. Um dia descobri uma banca que importava a Famitsu e umas outras que não lembro o nome. Foi assim que fiquei sabendo da existência do Neo Geo.

Arcades

Dá até uma tristeza falar disso, ainda existem alguns arcades espalhados por aí, mas estão minguando e uma hora vai ser coisa raríssima de se encontrar. Mas nem sempre foi assim, nas décadas de 80 e 90 havia arcades aos montes. Tinha os arcades ou fliperamas grandes, mas todo buteco tinha pelo menos uma máquina. Era comum ter máquinas de fliperama em qualquer tipo de comércio na verdade. É muito louco lembrar que fliperama já foi uma das principais formas de entretenimento para muita gente. Vocês se lembram do Playcenter? Foi um parque de diversões em São Paulo que tinha um arcade gigantesco chamado Playland, acho que o maior que vi no Brasil. Tinha todo tipo de máquinas, desde arcade analógicos até as máquinas mais modernas para a época, como After Burner. Foi lá que eu joguei Operation Wolf, Hard Driving, F1-Circus. Era muito bom, cada vez que ia lá tinha novidade. E Playland tinha em outros lugares, a que eu mais frequentava ficava no shopping Morumbi em São Paulo, que era muito mais perto de onde eu morava E da minha escola que o playcenter. Mechanized Attack, Tartarugas Ninja, Olimpíadas, 720 Graus, The Simpsons, tudo isso e muito mais vi lá a Playland.

Facilidade

Uma das coisas que mais me irritam nos videogames atuais é a espera. Espera para download, espera para instalação. Se você não se planejar um pouco, é capaz de não conseguir jogar na hora que você quer. Isso nunca acontecia com atari, nintendo, megadrive, super nintendo. Se o cartucho não pegasse com uma assopradinha, é porque a parada tava mais séria e o videogame tinha que ir para o hospital. Mas nunca que você ligava o videogame para jogar e ficava esperando uma eternidade olhando para a tela sem nada acontecer. Mentira, quem teve Neo Geo CD sabe do que estou falando.

Falei de tanta coisa até agora, mas faltou falar das embalagens. Sinto muita saudade da época que você comprava um jogo e dentro da caixa vinha todo tipo de coisa, brindes, posters, manual, encartes… isso em qualquer jogo. Hoje isso é exclusivo a edições de colecionadores. Nas versões comuns nem manual vem mais. As vezes nem o disco, vem só a caixa com um código para download. Tem até edição de colecionador sem o jogo, insano.

Estas são algumas coisas que eu sinto falta da época dos videogames clássicos, e agora quero saber de você, o que te dá mais saudade da época dos clássicos? Me conta aí nos comentários que eu leio e respondo tudo. Muito obrigado a você que chegou até o finalzinho do post. E se curtiu deixa aquele like e compartilha com os seus amigos nas redes sociais, só clicar no botãozinho share aí ao lado e escolher. 

Não deixe de se inscrever no nosso canal no youtube e de nos seguir no insta @apertestartoficial.

Eu sou o Ed, e até amanhã.

Castlevania Requiem

Castlevania Requiem, tudo que você precisa saber

1280 720 ED!

De repente me deu uma vontade desgraçada de comprar um PS4. E não é pelo God of War ou pelo Homem Aranha. Mentira, é um pouco sobre eles também, mas principalmente porque a Konami anunciou o Castlevania Requiem, que é uma coletânea de dois jogos, um é um dos melhores jogos de todos os tempos, o Castlevania Symphony of The Night, e o outro é um jogo que muito pouca gente teve acesso, já que saiu só para o PC Engine no japão e hoje custa um braço e uma perna de quem quiser jogar o original, que é o Rondo of Blood.

O lançamento está previsto para o dia 26 de outubro de 2018 e será exclusivo para PS4. Eu fiquei muito entusiasmado mesmo não tendo um PS4. Teve um amigo meu que me disse o seguinte: “Sem querer parecer chato, mas não entendo o motivo da felicidade geral destes jogos estarem sendo lançados para as novas plataformas, já que afinal eles continuam existindo nas antigas. “ e eu tive que responder “Eu fico feliz pq acho que todo mundo merece ter acesso a um dos melhores jogos do universo sem precisar entregar um rim ou o toba no processo”.

Minha história com Castlevania é antiga, vem lá de 1987 com o Vampire Killer no MSX. Foi um dos motivos que me levou a ficar fascinado pelos jogos da konami e virar colecionador. E não vou negar, eu gostava bastante de Castlevania, mas foi com Symphony of The Night que tudo mudou. Esse jogo entrou para minha lista de melhores jogos de todos os tempos faz tempo e nunca mais saiu. Eu gostei tanto que já comprei o jogo múltiplas vezes. E agora está me dando siricutico para comprar mais uma. E nem o console eu tenho.

Sei que você deve estar empolgado com a leitura, só queria te avisar que esta matéria também está diponível no youtube, na real está logo abaixo desse parágrafo ;)

Symphony of The Night é de 1997, originalmente saiu para o Sega Saturn e para o Playstation. É a obra prima do mestre Koji Igarashi, que agora está trabalhando no Bloodstained: Ritual of the Night, que é um sucessor espiritual do Symphony of The Night. Nunca entendi o que isso quer dizer exatamente. Repara que é um termo muito comum para quem quer abre aspas se inspirar em trabalho dos outros fechas aspas para criar alguma coisa muito parecida sem pagar os devidos direitos. A vida é engraçada desse jeito. Mas não culpo o cara, a konami a muito desistiu de fazer jogos de verdade.

Mas voltando para o Castlevania Requiem, o outro jogo é o Rondo of blood de 1993. Talvez você tenha jogado uma versão capada dele digamos assim no super nintendo que se chama dracula x. Mas não se engane, a versão original do PC Engine é muito superior. Não é um complexo como o Symphony, é mais parecido com o estilo do Castlevania original, mais ação de plataforma do que um jogo de exploração, embora também tenha alguns caminhos diferentes que você pode seguir.  

Castlevania Requiem já está em pré-venda na Playstation Store por 20 dólares. Eu compraria. Ele será emulado claro, já com alguns gráficos refeitos para 1080p e 4k, além de troféus para quem liga para isso. Quem não tem PS4 como eu e quer jogar Symphony of the night, ele está disponível tanto para PS3 quanto x360. Fora isso vai ter que apelar para os jogos originais ou os não tão originais assim. Mas essa é somente uma opinião, eu quero saber a sua, está empolgado com esse lançamento? Gosta de Symphony of the Night? Pretende comprar? Deixa tua resposta aí nos comentários que eu leio e respondo tudo. Se curtiu manda aquele like e compartilha com os amigos, só clicar no botão share e mandar para o facebook, tinder, twitter, orkut.

Não deixe de se inscrever no nosso canal no youtube e de nos seguir no insta @apertestartoficial.

Eu sou o Ed, e até amanhã.

Como o PS4 venceu essa geração. A E3 de 2013.

Como o PS4 venceu essa geração. A E3 de 2013.

1280 720 ED!

Estamos do meio para o fim dessa atual geração de videogames, e alguém discorda que o PS4 venceu essa geração? Certamente alguns irão discordar, mas os números não mentem. Mas como a Sony conseguiu esse feito saindo de uma situação bem desfavorável com o Playstation 3? Tudo aconteceu naquela E3 de 2013, e o Aperte vai contar para você.

Antes de mais nada se você não sabe o que é a E3, ela é, ou foi pelo menos o maior evento sobre videogames do planeta. Todas as empresas grandes, todas as novidades, todos os lançamentos rolavam nela. Hoje já perdeu bastante relevância, mas vamos voltar até 2013 quando ela estava ainda em sua plenitude.

Microsoft vinha cheia de moral com o xbox 360, dá para dizer que com esse console ela se consolidou no mercado dos games, foi líder durante boa parte da geração até a Sony se acertar e empatar o jogo no finalzinho. Alguém se lembra da diarréia explosiva que foi a apresentação da Microsoft  na e3 de 2013? Havia muita expectativa sobre o novo xbox, qual seria o nome, e o que ele traria de novo. Hoje sabemos que as repostas para essas perguntas decepcionaram muita gente. Xbox One, TV TV TV TV, Kinect mandatório, always online, sem jogos usados e tudo isso por 500 dólares.O conceito era um console focado para a sala, com entrada de TV a cabo e capacidade de gravar seus programas favoritos, acompanhado de comandos de voz e gestos que funcionavam metade do tempo. E até rodava jogos. Fora a figura nefasta de Don Matrick com uma declaração infeliz depois da outra.

Eu sei que você deve estar entretido com a leitura, mas só quero avisar que essa matéria também está disponível no youtube em nosso canal. Na verdade o vídeo já está abaixo deste parágrafo.

Já a Sony havia começado a geração do PS3 toda cheia de si movida pelo sucesso avassalador do PS2. Mas o começo do PS3 foi desastroso também. Com o modelo mais barato custando 500 e o mais caro 600 dólares, e com um processador Cell alienígena que ninguém conseguia usar direito, levou mais da metade de uma geração para cair no gosto do povo e recuperar o espaço perdido para o xbox 360. E a expectativa pelo PS4 só aumentou após o desastre da Microsoft e havia muito receio que a Sony embarcasse nas mesmas políticas insanas dela. Mas felizmente o oposto disso aconteceu. Playstation 4 custando 399, sem restrições a jogos usados e sem conexão a internet mandatória. A plateia veio abaixo. Não satisfeita, a Sony fez questão de humilhar a Microsoft e fez um vídeo de demonstração de como era compartilhar os jogos no PS4 com ninguém menos que Shuhei Yoshida e adam boyes. E isso fechou o caixão da Microsoft.

Após a apresentação da Sony, da repercussão ultra negativa e do baixíssimo interesse do consumidor nas pré-vendas, a Microsoft se viu obrigada a reverter todos seus planos para o Xbox one para tentar se redimir perante aos seus fãs. Naquele mesmo ano de 2013, Don Mattrick deixou a Microsoft e em seu lugar veio Phil Spencer, o cara que literalmente fez de tudo para tentar reverter a imagem negativa do Xbox One. E conseguiu, pelo menos parcialmente. Ele transformou o Xbox One em um videogame novamente, matou o kinect, baixou o preço do console e focou em jogos, e quem é que iria imaginar que o consumidor gostaria dessas coisas? Qualquer um, menos o Don Mattrick.

Ah Ed você não vai falar nada da Nintendo? Vou sim. Naquele ano de 2013 a Nintendo abandonou as apresentações na E3 e passou a fazer as Nintendo Directs, que são apresentações pré-gravadas. Desde então não houve mais apresentações ao vivo da Nintendo na E3, pelo menos nada na escala de grandeza de sony ou microsoft. Mas como curiosidade naquele ano ela anunciou Super Smash Bros. for Wii U, Mario Kart 8 Super Mario 3D World Donkey Kong Country: Tropical Freeze The Legend of Zelda: A Link Between Worlds The Legend of Zelda: The Wind Waker HD X Bayonetta 2  e Pikmin 3.

Eu sou da opinião que a E3 de 2013 definiu o vencedor da geração assim que a Sony terminou sua conferência. As vendas do PS4 chegaram a ficar 4 para 1 durante um bom tempo e mesmo depois de todo esforço do Phil Spencer e da Microsoft, de nada adiantou no que diz respeito a tentar brigar pela liderança nas vendas. Até o momento o PS4 vendeu aproximadamente 82 milhões de unidades contra 38 milhões do Xbox One, praticamente 2 PS4 para cada Xbox 1. E nessa geração eu acho impossível esse cenário sofrer qualquer alteração relevante, então para mim, essa a Sony levou com certa facilidade e varreu o chão com a concorrência.

Mas essa é apenas a minha opinião, quero saber o que você pensa sobre isso tudo. Você acompanhou essa e3? Você esperava por essa dominância da Sony do início ao fim da geração? Me conta aí nos comentários que eu leio e respondo tudo. Se curtiu deixa aquele like e compartilha com os amigos, é moleza, só clicar no botãozinho share ao lado escolher uma rede social.

Não deixe de se inscrever no nosso canal no youtube e de nos seguir no insta @apertestartoficial.

Eu sou o Ed, e até amanhã.